quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Êta modo de vida mais in...

Indigesto
Intransigente

Instável
Insensível
Insatisfeito
Insano
Inconveniente
Intragável
Intransponível
Intrometido
Insensato
Incauto
Inconcebível
Instantâneo
Inseguro
Inidôneo
Inábil
Inapto
Infecto
Inebriante
Indescritível
Incrível
Inefável
Indizível
Inato
Invencível
Inutilmente
Inteligente!


Memento mori et carpe diem!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Olhando ao redor...

Pensar tem servido de combustível para incineração em "praça pública". Há uma inquisição instaurada que chama bastante a atenção, falam tanto acerca do que outrem expõe de opinião, muitas das vezes tão violentamente, que diminui significativamente alguma distância que haja da ideia de liberdade em relação a alguma ditadura.
 
Bons tempos os das divergências ou críticas que ficavam no escopo do direito de cada um poder raciocinar diferente sobre algum tema e ou sua relevância. Tanta razão absoluta, tanta "sabedoria" de tudo e principalmente sobre todos, que ouço e leio bastante por aí, poderiam ter nos alçado a coisas melhores, não acham?
 
A mola mestra para uma amplitude evolutiva da humanidade começa pela convenção básica de princípios baseados nas condutas naturais e espontâneas de cada ser que não sejam invasivas bem como definitivas, pasmem, de reputações alheias, por alguém tão somente se posicionar, com atendimento de premissas não abusivamente coercitivas ou criminosas. 
 
Pensemos o máximo que pudermos, mas sem diminuir uns aos outros e consequentemente sufocar a todos, por um mundo melhor, antes que até pensar seja criminalizado pela UNESCO!
 
Memento mori et carpe diem!

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Enquanto isso em Politicópolis...(vergonhosamente histórico)

Mais um dia em que por mais que sejamos e estejamos enojados com a política que nos ofereçam, alienados oportunos e ou ignorantes, seremos postos a confabular sobre o que fomos e no que nos tornamos como nação e como não fomos e não deveríamos ser.
A situação deveras delicada tá cheia de culpados, em vários setores. Minha postura perante é mais filosófica e estrutural que qualquer outra coisa, se inquirido, como hoje já fui, acerca de estar de acordo ou não com o que vem transcorrendo ao longo deste histórico 29 de agosto de 2016, sem delongas responderei que NÃO!
NÃO, não porque sou filiado ao partido e ou cabo eleitoral da pessoa julgada, definitivamente não sou!
NÃO, não porque vejo em ato julgadores idôneos e inclinados a atendimento de interesse público, premissa para estarem onde estão e nem mesmo distinção entre defensores e acusadores, que lhes atribuam envergadura moral para tanto.
NÃO, não porque sou comunista, definitivamente não sou!
NÃO, porque quem preside a sessão em questão é parte de um tribunal contaminado e reflexo Supremo de poder comparsa, sem generalizar os que atuam no Judiciário de maneira correta e ética, mas ressaltando que os mais influentes no mesmo não o fazem seja qual for a esfera em numerosas oportunidades.
NÃO, porque está aberto, por imbecis, meliantes (Deputados e Senadores) precedente para haver a partir de então, por puro revanchismo a intervenção anuladora de direitos meus e de gerações posteriores de cidadãos!
Protagonizam hoje no Senado federal, mais esta página medíocre da nossa jocosa história política seres que se arvoram de legitimidade dada pelos votos para fazerem ou não fazerem o que bem querem e que na hora de devida outorga a quem a vos concede, o povo, concentram nas próprias e minoritárias mãos o designo dos rumos de semelhantes e de si!
#sóacho!


Você quer mudar Ô ou DE país?!

Memento mori et carpe diem!

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Mitologia dos bons sentimentos


Houve há algum tempo atrás na humanidade a presença habitual da honestidade, humildade, presteza, compaixão, empatia entre outras benesses sentimentais. Algum tempo depois a normalidade passou a ficar um tanto casual, mas ainda digna de em momentos extremamente necessários haver tal predominância.

Pois bem, mais algum tempo se passou e acompanhando a escassez de recursos naturais os bons sentimentos naturais passaram a serem guardados e restritos de serem difundidos de tal forma, que há gerações que talvez nem sejam capazes de ensinar suas importâncias, que inclusive estupidamente creem na hipótese de haver quem nasça com configurações opostas.


Não se nasce bom nem mal, se aprende a ser.


A guarda para seletivo e minucioso compartilhar do bem torna cada um dia após dia mais ganancioso de bons fluidos somente para si e os seus, as vezes alguns dos seus.
Urge não permitir que a fluência das coisas boas se torne folclore, fábula ou seja condenada aos confins dos alfarrábios de si!

#sóacho!


Memento mori et carpe diem!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Alfabeticamente...

Bailam coisas demais entre fatos.
Ganâncias, honras, ingenuidades juntas.
Lamentável, muita nojeira organizada!
Para quem?!
Resolvi superar tamanho ultraje via xingamentos zoeiros.
As bundas, ciladas demais efêmeras ferem.
Garantias horríveis, inutilmente jocosas.
Legado machista, nu orquestrado!
Privações queimam.
Registros supérfluos, tamanha utilidade.
Vidas xeretas zombadas.
Altas benesses cedidas desanimam.
Estilos fatais genéricos humilhados.
Injustas joias lapidadas.
Menções nulas ordenadas.
Por quaisquer Reais somente, taxadas!
Único valor, xodós zerados!


Memento mori et carpe diem!

sábado, 28 de maio de 2016

Diga 33!

Trinta e três foi a contagem que fiz perplexo, pasmado e ao mesmo tempo fulo da vida com mais uma atrocidade contra a mulher, ou melhor, as mulheres e homens de mentes sãs!
Trinta e três torna-se, de forma extremamente asquerosa, um número cabalístico em relação a intolerância e tolerância(pasmem) com a violência que de novo ocorreu.
Bem mais que trinta e três são os cuidados estressantes que mulheres precisam ter ao tentarem exercer o simples direito de ir e vir, com as roupas que melhor lhes convier, são as ocorrências similares sem alguma punição condizente, são as empresas com as suas peças publicitárias sugestivas de uma normalização da coisificação feminina e parâmetro de sucesso atrelado a uma "posse"!
Trinta e três foram mais esses ditos homens, que não passam de moleques que nos involuem!
Os homens de bem devem se ater a esta causa e ao menos se policiarem em não reproduzirem o que definitivamente não devem fazer! Pois sabem e os trinta e três sabiam e assim não o quiseram proceder!
O que fazer para isso acabar definitivamente?!
Desculpem mulheres, mas de fato não sei.
Só sei que, afinidades políticas a parte, para não escrever insanidades, não perpassa por dar mais voz e legitimidade a um Jair Bolsonaro e sua prole e tampouco elevar um troglodita, que se afamou muito por deselegantemente ser um livro escancarado a respeito de com quem teve relações sexuais, sem qualquer consentimento de quem supostamente teve a infelicidade, Alexandre Frota, a porta voz de alguma educação e cultura!

#sóacho!
#QuebrandoOAssédio!
#BASTA!

Memento mori et carpe diem!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Aos privadas!


Quando panacas forem relevantes até faço um levante. Antes que perguntem quem eu sou, sou como tu que indaga e eles, reles e todos nós fazemos coco, diferença que de tempos em tempos uns
e outros personificam a bosta e andam com os narizes empinados por não suportarem os próprios odores!
Entendedores entenderão, "entendedores" infelizmente ainda não.


Memento mori et carpei dem!