sexta-feira, 15 de julho de 2016

Mitologia dos bons sentimentos


Houve há algum tempo atrás na humanidade a presença habitual da honestidade, humildade, presteza, compaixão, empatia entre outras benesses sentimentais. Algum tempo depois a normalidade passou a ficar um tanto casual, mas ainda digna de em momentos extremamente necessários haver tal predominância.

Pois bem, mais algum tempo se passou e acompanhando a escassez de recursos naturais os bons sentimentos naturais passaram a serem guardados e restritos de serem difundidos de tal forma, que há gerações que talvez nem sejam capazes de ensinar suas importâncias, que inclusive estupidamente creem na hipótese de haver quem nasça com configurações opostas.


Não se nasce bom nem mal, se aprende a ser.


A guarda para seletivo e minucioso compartilhar do bem torna cada um dia após dia mais ganancioso de bons fluidos somente para si e os seus, as vezes alguns dos seus.
Urge não permitir que a fluência das coisas boas se torne folclore, fábula ou seja condenada aos confins dos alfarrábios de si!

#sóacho!


Memento mori et carpe diem!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Alfabeticamente...

Bailam coisas demais entre fatos.
Ganâncias, honras, ingenuidades juntas.
Lamentável, muita nojeira organizada!
Para quem?!
Resolvi superar tamanho ultraje via xingamentos zoeiros.
As bundas, ciladas demais efêmeras ferem.
Garantias horríveis, inutilmente jocosas.
Legado machista, nu orquestrado!
Privações queimam.
Registros supérfluos, tamanha utilidade.
Vidas xeretas zombadas.
Altas benesses cedidas desanimam.
Estilos fatais genéricos humilhados.
Injustas joias lapidadas.
Menções nulas ordenadas.
Por quaisquer Reais somente, taxadas!
Único valor, xodós zerados!


Memento mori et carpe diem!

sábado, 28 de maio de 2016

Diga 33!

Trinta e três foi a contagem que fiz perplexo, pasmado e ao mesmo tempo fulo da vida com mais uma atrocidade contra a mulher, ou melhor, as mulheres e homens de mentes sãs!
Trinta e três torna-se, de forma extremamente asquerosa, um número cabalístico em relação a intolerância e tolerância(pasmem) com a violência que de novo ocorreu.
Bem mais que trinta e três são os cuidados estressantes que mulheres precisam ter ao tentarem exercer o simples direito de ir e vir, com as roupas que melhor lhes convier, são as ocorrências similares sem alguma punição condizente, são as empresas com as suas peças publicitárias sugestivas de uma normalização da coisificação feminina e parâmetro de sucesso atrelado a uma "posse"!
Trinta e três foram mais esses ditos homens, que não passam de moleques que nos involuem!
Os homens de bem devem se ater a esta causa e ao menos se policiarem em não reproduzirem o que definitivamente não devem fazer! Pois sabem e os trinta e três sabiam e assim não o quiseram proceder!
O que fazer para isso acabar definitivamente?!
Desculpem mulheres, mas de fato não sei.
Só sei que, afinidades políticas a parte, para não escrever insanidades, não perpassa por dar mais voz e legitimidade a um Jair Bolsonaro e sua prole e tampouco elevar um troglodita, que se afamou muito por deselegantemente ser um livro escancarado a respeito de com quem teve relações sexuais, sem qualquer consentimento de quem supostamente teve a infelicidade, Alexandre Frota, a porta voz de alguma educação e cultura!

#sóacho!
#QuebrandoOAssédio!
#BASTA!

Memento mori et carpe diem!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Aos privadas!


Quando panacas forem relevantes até faço um levante. Antes que perguntem quem eu sou, sou como tu que indaga e eles, reles e todos nós fazemos coco, diferença que de tempos em tempos uns
e outros personificam a bosta e andam com os narizes empinados por não suportarem os próprios odores!
Entendedores entenderão, "entendedores" infelizmente ainda não.


Memento mori et carpei dem!

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Apartheid político.

E eis que em 15/04/2016 chega o fim de semana sabático eleitoral no Brasil.Preocupante ser de forma tão bipolar, tão aguerrida por grupos e não por todos realmente, sob premissas capazes de cegarem a ponto das militâncias não notarem-se inversos macabros e pantanosos dadas as profundezas das próprias criminalidades.
 
Uma nação indiscutivelmente plural de pessoas, culturas, costumes, comidas, dialetos, climas, fusos horários, raças e crenças condicionada a apenas dois lados ou duas sinas um tanto degradantes, diga-se de passagem. Funil resultante de algo falido, atrasado talvez propositalmente assim de modo a tentar perpetuar a gestão de caos.
 
Em Politicópolis estará retratado o simbolismo desta bipolarização torta com tom de um Neo Tordesilhas sensacionalista, vangloriado e prepotente com quem se põe de fora disso. Hipnotizados, componentes dos dois míseros lados do muro que concretamente dividirá os espaços e pensamentos dos gramados da Esplanada e de modo abstrato o resto do território nacional contínuo ou não(no caso de brasileiros que vivem no exterior) sequer perceberão a divisão enfraquecedora fomentada por quem só tem a intenção de continuidade de domínio.#sóacho!

Você quer mudar Ô ou DE país?!

sábado, 5 de março de 2016

Política Gourmet.

A tragédia grega ao qual estamos testemunhando só me faz crer que após primeiro e segundo reinados, a antiga República, a política do café com leite, a ditadura e a democracia teremos a era atual registrada nos anais da história como a da política Gourmet. As tentativas de relativizar os estupros éticos e morais são medíocres e ofendem fortemente alguma inteligência que exista, as esquivas por eufemismos por parte de situação e oposição não passam de uma "gourmetização" das mais chinfrins que podemos ver.
 
Estamos a parte dos grandes banquetes e a mercê do mesmo feijão com arroz de sempre e cercados de saudosos fervorosos, que nasceram quase agora, do pão e água em relação a abertura para emitir opiniões e agir em termos eleitorais, impressiona de forma aterrorizante o ímpeto de quem acha que o mundo começou ou começa a partir de quando nascem e ou se entendem como cidadãos!
 
No futuro poderemos olhar para isso tudo e se o " cálice de vinho tinto de sangue" não voltar, poderemos analisar que aos montes lambuzam-se com pão com ovo( que em particular acho até gostoso, mas não só isso) cegos em relação as massas finas, vinhos, sucos, champanhes, cervejas importadas, refrigerantes, carnes de primeira e doces finos a mesa de quem os governa cotidianamente e em abundância ofensiva! Efeitos de manipulação e ou especiais os lesam a ponto de escamotear, que o(a) Fulano(a) na berlinda, não passa do(a) Beltrano(a) ou Ciclano(a) com outra roupa e outra sigla partidária e enquanto se engalfinham física e ideologicamente, segue o baile, ou melhor, o banquete no poder!
#sóacho!

Você quer mudar Ô ou DE país?!
 
Memento mori et carpe diem!

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Status


Fechado pra balanço com minha nega Cris Ângela Vieira, agradecendo ao milagre, curtindo, amando e Amorando, que é a vida!
#atémais!

Memento mori et carpe diem!